Conselhos e informações exclusivos para os especialistas em esportes de raquete

PT chevron bas

PARTNERSHIP 11.07.2019

Preparação do material, uma expertise sinônimo de diálogo com os campeões

O relacionamento entre uma marca e os jogadores que compõem a equipe é essencial. A Babolat, graças à sua expertise, pode basear-se em três estrelas do tênis que representam três gerações: Rafael Nadal, Dominic Thiem e Félix Auger-Aliassime. Esses três jogadores de alto nível têm um relacionamento privilegiado com a marca e suas equipes dedicadas a pesquisa e desenvolvimento, marketing esportivo e personalização, no que diz respeito à preparação ou desenvolvimento de seu material.

“A cada ano, são organizados testes de produto com os campeões”

“A cada vez, o objetivo é propor novas soluções para que os jogadores tenham um desempenho ainda melhor em seu jogo, tanto para as molduras como para os encordoamentos. Este foi o processo que implementamos recentemente com Dominic Thiem para a nova versão da Pure Strike, com a qual ele jogou na edição 2019 de Roland Garros”, explica Sylvain Triquigneaux, Performance Lab Manager.

O objetivo dos testes é obter o máximo de informações, estabelecer um diálogo com o jogador e experimentar na quadra. Para Rafael Nadal, o serviço de personalização é solicitado para preparar suas raquetes, cujo equilíbrio e peso podem mudar no decorrer da temporada conforme a superfície e outros parâmetros específicos de suas escolhas táticas. Tudo é medido nos mínimos detalhes, em cada grama, é uma preparação cujos ajustes parecem os de um carro de Fórmula 1.

“Ajustes dignos de um carro de Fórmula 1”

É compreensível, portanto, que, dependendo do momento de sua carreira, um jogador faça escolhas muito diferentes para seu material. Seu fornecedor de equipamento deve estar presente para acompanhá-lo desde as etapas iniciais até sua ascensão ao nível profissional. O caso de Félix Augier-Aliassime é um grande exemplo disso. Este jovem atleta ainda está em plena evolução e, portanto, a Babolat deve oferecer-lhe produtos que serão futuramente adaptados ao seu físico, mas também às mudanças que ele implementará em seu jogo, especialmente em termos de potência, spin e controle.

A expertise da Babolat e seu relacionamento contínuo estabelecido graças ao departamento de marketing esportivo permitem que a marca antecipe determinadas exigências. Como explica Jean-Christophe Verbog, a ideia é ouvir e permanecer atentos: “Os jogadores não têm muito tempo. É preciso saber oferecer-lhes coisas específicas e precisas, que também se adaptem à evolução de seu jogo. A informação pode vir da marca, do jogador ou de sua equipe, como de seu técnico, por exemplo.»

“O exemplo do RPM Blast com Rafael Nadal”

Mesmo sendo aberto e receptivo a mudanças e inovações, um bom jogador sempre detecta um pouco uma alteração em seu braço. Porém, nada é imutável e a função da marca é abrir o campo de possibilidades.

“Muitas vezes dou o exemplo do RPM Blast porque ele é simbólico. Passar do encordoamento amarelo ao preto, a uma corda mais flexível… entramos no terreno sensorial, que é muito sensível para os profissionais. Nos 5 ou 10 primeiros minutos do teste, vimos no olhar de Rafa que alguma coisa estava acontecendo. Entendi que ele queria ir mais longe, saber mais. Portanto, fizemos um ajuste fino para lançar rapidamente esse encordoamento que agora é uma referência no mercado mundial”, conclui Jean-Christophe Verborg.

Dialogar, compartilhar, testar e intercambiar é essencial no relacionamento com um campeão para que seu material evolua e ele possa, assim ter o melhor desempenho possível na quadra.

Mais artigos